quarta-feira, 23 de abril de 2014

PROJETO: IDENTIDADE E AUTONOMIA 2014

PROJETO:
IDENTIDADE E AUTONOMIA
Data: de 06 a 21 de março

“A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele e, com tal gesto, salvá-lo da ruína que seria inevitável não fosse à renovação e a vinda dos novos e dos jovens. A educação é, também, onde decidimos se amamos nossas crianças o bastante para não expulsá-las de nosso mundo e abandoná-las a seus próprios recursos, e tampouco arrancar de suas mãos a oportunidade de empreender alguma coisa nova e imprevista para nós, preparando-as em vez disso com antecedência para a tarefa de renovar um mundo comum.” (ARENDT, 1972, p. 247).
Segundo o RCNEI (Referencial para Educação Infantil), a identidade é um conceito do qual faz parte a ideia de distinção, de diferença entre as pessoas, a começar pelo nome, seguido de todas as características físicas, do modo de agir, de pensar e da história pessoal.

JUSTIFICATIVA

A construção da identidade se dá por meio das interações da criança com o seu meio social. A escola de Educação Infantil é um universo social diferente do da família, favorecendo novas interações, ampliando desta maneira seus conhecimentos a respeito de si e dos outros. A autoimagem também é construída a partir das relações estabelecidas nos grupos em que a criança convive.
Um ambiente rico em interações, que acolha as particularidades de cada indivíduo, promova o reconhecimento das diversidades, aceitando-as e respeitando-as, ao mesmo tempo em que contribui para a construção da unidade coletiva, favorece a estruturação da identidade, bem como de uma autoimagem positiva.
Neste âmbito, este projeto tem como objetivo, o conhecimento global do ser humano: conhecendo seu corpo, ampliando conceitos sobre sua identidade, descobrindo que o indivíduo está presente em todas as comunidades, relacionando-se com outros seres e com todo o ambiente onde vive e identificando e analisando diferenças, conceitos, pré - conceitos, características, valores de toda uma sociedade a qual ele está inserido.
Consideramos que as situações educativas que a criança vive na escola e a maneira como as educadoras tratam essas atuações serão muito importantes na formação dos conceitos de si mesmas.

OBJETIVO GERAL

Promover a integração das crianças, a apropriação da escrita e da oralidade e valorização do seu nome próprio, bem como no resgate da dignidade e da cidadania, através do fortalecimento da identidade, da cultura, e do restabelecimento da autoestima é o objetivo geral deste projeto.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Ø  Proporcionar ao aluno a apropriação de sua identidade;
Ø  Conhecer a história e o significado de seu nome;
Ø  Desenvolver a autonomia, a autoconfiança e autoestima da criança;
Ø  Desenvolver o hábito de cuidar de si mesmo;

CONTEÚDOS POR EIXOS CONTEMPLADOS

Todos os sete Eixos que norteiam o currículo da Educação Infantil serão contemplados, são eles, a saber:

Identidade e Autonomia e  Movimento

v  Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras, do uso do espelho e da interação com os outros.
v  Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da linguagem oral.

Natureza e Sociedade:

v  Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções.

Artes Visuais:

v  Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pincéis de diferentes texturas e espessuras, carimbo com batatas, etc.; de meios, como tintas, água, areia, terra, argila etc.; e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras etc.

Linguagem Oral e Escrita:

v  Uso da linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano.
v  Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-línguas, etc.
v  Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita.
v  Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos etc.

Música:

v  Exploração, expressão e produção do silêncio e de sons com a voz, o corpo, e materiais sonoros diversos.
v  Interpretação oral de músicas e canções diversas.
v  Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos.

Matemática:

v  Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nos quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
v  Manipulação e exploração de objetos e brinquedos, em situações organizadas de forma a existirem quantidades individuais suficientes para que cada criança possa descobrir as características e propriedades principais e suas possibilidades associativas: empilhar, rolar,  encaixar etc.

ESTRATÉGIAS

v  Contação de histórias por meio de diferentes meios (livros, fantoches, etc);
v  Cantigas de roda nos diferentes momentos estabelecidos na rotina diária; ( Atirei o pau no gato, não)
v  Atividades com imagens
v  Atividades com diversos objetos sonoros
v  Construção de brincadeiras;
v  Sessão cineminha;
v  Brincadeiras e cantigas que incluem diferentes formas de contagem: “a galinha do vizinho bota ovo amarelinho; bota um, bota dois, bota três, bota quatro, bota cinco, bota seis, bota sete, bota oito, bota nove e bota dez”; “um, dois feijão com arroz; três, quatro, feijão no prato; cinco, seis, feijão inglês; sete, oito, comer biscoito; nove, dez, comer pastéis”.
v  Propor sistematicamente brincadeiras em grupos, integrando as crianças através de conversa em rodinhas, a fim de possibilitar o conhecimento e a aproximação das crianças.
v  Organizar atividades individuais como criação e confecção de crachás, a partir de desenho e cartaz para a identificação da criança.

v  Trabalhar a percepção do corpo a partir de observações sistemáticas, no espelho, do rosto, dos cabelos, das partes do corpo, da altura, etc.
v  Estabelecer observações em duplas acerca das diferenças e semelhanças entre os demais colegas, buscando construir o conceito do eu e do outro.
v  Fazer gráficos de altura com tiras de jornal, após as observações no espelho, procurando estabelecer as diferenças e as semelhanças de tamanho entre as crianças..
v  Fazer um desenho de corpo inteiro, incentivando a criança a reproduzir a sua autoimagem; para isso, disponibilizar a ela diversos materiais como: tinta, pincéis, papel colorido, etc.
v  Na classe: nomear todos os objetos e móveis ali presentes.

Em “rodinha” iniciar me maneira descontraída e atrativa uma dinâmica – O
Professor apresenta uma caixa, com tampa, decorada da maneira que achar mais atraente a seus alunos e dentro de suas possibilidades – Podendo ser  caixa de sapatos, de madeira, de vime, de qualquer outro artigo que tenha  consumido, ou até mesmo um pequeno baú.

• O professor apresenta a caixa dizendo que dentro dela tem o que existe de  mais precioso, de mais importante, um verdadeiro tesouro.

• Propõe, então, uma brincadeira onde cada um terá que olhar o que tem dentro  da caixa, ver qual é este tesouro e manter segredo – Um a um devem olhar e  voltar ao lugar sem poder contar o que viu – Esta é a regra da brincadeira:
Manter segredo.

• Dentro da caixa deve conter um espelho, bem no fundo, do tamanho exato da  mesma. No momento em que a criança for olhar o tesouro verá refletida sua  própria imagem.

• A professora deve ficar atenta a cada reação individual ao deparar-se com a  própria imagem. É fundamental criar um clima de muito interesse provocando  sempre: Qual será este tesouro?

• Após todos terem visto sua imagem refletida dentro da caixa e terem tido as  mais diferentes reações, cuidando sempre para que não falem enquanto todos  não olharem, abrir então o debate, a conversa informal.

• O que vocês viram dentro da caixa? Descobriram o tesouro?
• Aproveitar cada resposta dos alunos, orientando-os quando necessário, mas  propiciando que se expressem.

• A conversa deve fluir até o ponto em que o professor perceber que os alunos  perceberam que eles são o tesouro – cada um deles – por isso não poderiam  contar o segredo – pois todos somos únicos – Ninguém é igual a ninguém.

 Após a realização da Dinâmica do Tesouro, ainda em círculo, sentados de forma confortável, provocar os alunos para que observem seus próprios corpos e façam comparações: __ Quem é mais alto? Quem é mais baixo? Quem tem a mesma  altura? __Quem tem cabelos loiros? Quem tem cabelos castanhos? Quem tem  cabelos pretos? __ Quem é negro? Quem é moreno? Quem é branquinho?
__ Quem tem olhos azuis? E castanhos? __ Quem é menino? Quem é menina?

E assim propor que se agrupem de diferentes formas:

Exemplo:
__Vamos juntar todas as crianças que tem cabelo bem curtinho do lado esquerdo  em pé e todas as crianças que tem cabelos compridos do lado direito sentadas.
__Vamos juntar os meninos de um lado e as meninas do outro.
__ Agora vão pular só as crianças que tem olhos azuis ou verdes.

Assim, o professor pode ir brincando, criando diferentes situações de acordo com  a sua turma, sempre tendo como objetivo que façam comparações a partir das  diferenças e semelhanças existentes no próprio corpo e no corpo dos amigos.
Concluir a atividade quando não houver mais interesse da turma.

AVALIAÇÃO

A avaliação será contínua ao longo do processo, levando-se em consideração, as atividades desenvolvidas, a interação dos pequenos com as mesmas e com o grupo e o desenvolvimento destes quanto aos objetivos propostos. Será utilizado a competências e habilidades  que se encontram no diário de classe.

REFERÊNCIAS


BRASIL. REFERENCIAIS CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL – RCNEI, Ministério da Educação. Secretária da Educação Fundamental – 3. ed. Brasília : Secretaria, 2001..

LDB, Lei 9394 – 24 de dezembro de 1996. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Ministério da Educação, 1996.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.




















6 comentários:

DAYSE disse...

Muito obrigado pela dica!

DAYSE disse...

Muito obrigado pela dica!

Vilma g. disse...

Amei,

aide veiga disse...

Parabéns! Gostei de todo projeto, vou usar para completar minha proposta já em andamento sobre identidade com a turminha do Maternal II. Obrigada!

Wiston Manuel Roberto disse...

Eu amei, devo usa-lo para apoiar as crianças num jardim-de-infancia na minha cidade dentro da cadeira de Didática em Educação de Infância, do curso que frequento.

Maria Clara Fernandes disse...

amei <3

Postar um comentário